Arquivo da categoria: Fotografia

Decorando o quarto: inspirações

Nunca falei disso aqui no blog, mas estou prestes a me mudar e vou poder decorar meu quarto novo completamente do zero! Bem legal né, mas daí que eu passei horas e horas tentando decidir qual o estilo de decoração que eu queria, juntei várias fotos da internet e resolvi que era uma boa ideia compartilhar.

Primeiro queria pedir desculpas porque a grande maioria das fotos eu achei no we heart it e lá quase nunca tem o link da pessoa que a tirou ou qualquer tipo de créditos. Mas vou colocar o nome da dona dos quartos quando eu souber e o link para o we heart it das fotos que eu achei lá (é só clicar na foto).

A primeira coisa que você tem que fazer na hora de decorar (ou redecorar) seu quarto é pensar em que tipo de decoração você quer, e acredite isso é bem difícil! Eu escolhi por fazer os móveis todos brancos, assim como deixar as paredes brancas (0 apartamento foi reformado pelos meus pais), e colocar papel de parede em uma das paredes apenas. Porque assim se eu mudar de idéia, é mais fácil de trocar a decoração.

Então vou começar pelos móveis. Lá em casa os móveis foram todos planejados e estamos fazendo eles por etapas. Meu quarto é pequeno então eu e a arquiteta conversamos para ver a melhor forma de usar o espaço. Vou mostrar algumas idéias que eu tirei sobre isso.

Nichos e prateleiras ♥

Nichos e prateleira. Esse é bem parecido com como vai ficar o meu. Dona da foto é a Gabriela.

Mais nichos e uma bancada com gavetas e esses outros compartimentos. Esse quarto é da Prilovegood

Uma estante para os seus livros ♥

Esse é o quarto da Lola Vegas. Obrigada Manu pela dica. 🙂

Estante na parede toda do quarto.

Mais uma foto desse quarto (alguém sabe o flickr dessa menina?) porque eu achei muito linda essa ideia de colocar vários móveis pequenos juntos: tem a escrivaninha e uma estante, mais várias mini estantes e armários em cima. ♥

A bancada de maquiagens: é uma boa ideia esse tipo de gavetas com divisórias, que podem já vir no móvel ou ser feita com caixinhas como na foto.

A minha eu resolvi fazer inspirada nessa aqui, a dona da foto é a Sophia. Escolhi esse estilo porque ocupa menos espaço e cabe bastante coisa. O espelho com as luminárias é perfeito. Não vou fazer agora ($) mas é um projeto pro futuro.

Mais uma, da Sophia. Muito amor esse espelho de coração. ♥

Criados mudos. ♥

Esse tipo de cama é ótimo pra ganhar espaço também.

Agora um capítulo a parte são os mini armários, que são uma ótima idéia pra guardar miniaturas de coisas que você gosta. Esse é da Melina e clicando no nome dela você vai ver todo o quarto dela explicadinho direitinho.

Esse outro é da Prilovegood e eu encontrei ele pra vender na Tok&Stok por uns 400 reais. É de madeira e um amor. ♥

Agora sobre a cor do seu quarto. Isso é um assunto muito pessoal, eu pessoalmente optei por não pintar (está branco agora) e colocar papel de parede em uma parede só – a da janela.

Alguns exemplos de papeis de parede:

Super fofo e combinando com as almofadas. ♥

Bem girly.

Azul.

Colorido. Eu ainda não achei nem decidi meu papel de parede.

Você ainda pode colocar fotos nas paredes e adesivos. Existem muito por aí. Uma boa idéia é o heart photo wall.

Mais uma photowall em forma de coração.

Fotos aleatórias (eu não sei se teria coragem de fazer isso no meu).

E a cortina ou persiana também varia com o gosto da pessoa. No meu quarto atual eu tenho persianas brancas com listras rosas, mas no novo quero colocar cortinas brancas, porque são muito mais bonitas e fotogênicas.

Cortinas ♥.

As luzes de natal também são uma ótima idéia pra decorar o quarto, quase todas as fotos que coloquei tem uma forma de usá-las, parece que é uma mania na gringa hein?

É isso, espero que esse post tenha ajudado alguma indecisa por aí, e eu vou postar aqui assim que as coisas no meu quarto forem sendo feitas (ainda nem me mudei).

Beijinhos!

Anúncios

7 Comentários

Arquivado em Decoração, Fotografia

Dica de fotografia: composição

O arranje da composição de uma fotografia nada mais é que a organização dos elementos e detalhes da imagem na câmera, de uma forma que ela fique organizada e “bonita” de ver.

Quando tiramos uma foto, não podemos simplesmente apontar a câmera de qualquer jeito e apertar no botão. Algumas regras podem ser consideradas, para que facilite o entendimento da mensagem que você quer passar, para as pessoas que a irão ver.

As regras da composição não são regras cravadas em pedra, portanto, podem ser quebradas aqui e ali, quando se achar necessário. Porém, é importante conhecê-las para saber como elas funcionam e como utilizar-se (ou não) delas, de forma a melhorar suas fotos.

A regra dos terços

A regra dos terços é a mais importante, eu diria, das regras de composição. Essa regra segue a seguinte lógica: não colocar as áreas de interesse no centro da fotografia. Para isso, dividimos a foto em nove quadrantes, da seguinte forma:

Os pontos de interseção são os pontos em que você deve posicionar as áreas de interesse da foto. O horizonte nunca deve ficar no meio da imagem, sendo posicionado na linha horizontal inferior, se você quiser dar mais destaque ao céu, ou na linha horizontal superior, se a paisagem for o alvo de seu interesse.

Por exemplo:

Nessa foto a área de interesse (modelo) está mais para a direita e um dos pontos de interseção passam pela cabeça dela.

Nessa foto o horizonte ficou no quadrante de baixo, para dar destaque ao céu. 🙂

Aqui tem um vídeo rápido com a regra dos terços desenhada e explicadinha, vale o clique:

Simetria e Padrões

A simetria torna as fotos mais simples ao revelar padrões, e pode ou não ser seguida, dependendo do bom senso do fotógrafo:

Exemplo de simetria

Regra da espiral dourada

Confesso que essa e a próxima regra eu só aprendi agora, ao pesquisar um pouco mais sobre o assunto.

Essa regra é o resultado de uma fundamentação matemática para explicar a noção de equilíbrio e dinâmica aos nossos olhos.
Matemático italiano nascido em Pisa por volta de 1175, Leonardo Fibonacci publica no ano 1202 o Livro do Ábaco (ou Livro do Cálculo) onde soluciona um problema matemático com uma sequencia numérica, introduzindo no Ocidente algo que já era conhecido por matemáticos indianos no século VI. Desta sequência, extrai-se o número transcendental conhecido como número de ouro. Este número corresponde a uma constante encontrada em variadíssimos exemplos na natureza, sendo por isso também chamado número divino. O seu valor arredondado é de 1,618 e é representado pela letra φ (phi) em homenagem a Phidias, um grande escultor grego ao qual atribuem o emprego da proporção dourada nas suas obras, nomeadamente nas Estátuas do Partenon. Representa uma constante de harmonia e beleza que nos parece naturalmente agradável ao olhar. Desde a Renascença que pintores, escultores e arquitectos baseiam as suas obras nesta constante.

Exemplo:

Confesso que fiquei procurando esse padrão nas minhas fotos, hehe.

(texto extraído de http://luismacedophotography.wordpress.com/2011/10/19/composicao-as-regras/)

Regra dos triângulos dourados

Mais uma que eu não conhecia, lá vai:

Esta regra está também relacionada com a anterior e pode ser expressa da seguinte forma: desenhar uma diagonal a unir dois cantos opostos da imagem e depois desenhar duas linhas perpendiculares a unir cada um dos cantos restantes à diagonal. Desta forma formam-se quatro triângulos que respeitam as proporções douradas.

Utiliza-se bastante esta regra quando a cena contem linhas diagonais, fazendo-as coincidir em inclinação com a diagonal traçada e colocando os motivos fortes da cena a coincidirem com um ou ambos pontos de intersecção Normalmente faz-se uso apenas de um ponto forte, fazendo coincidir o motivo forte da cena.

Exemplo:

(texto extraído de http://luismacedophotography.wordpress.com/2011/10/19/composicao-as-regras/)

Plano de fundo e foco

Por último mas não menos importante, o fundo das suas fotos são muito importantes para destacar seu objeto de interesse. Um fundo com muita informação ou incoerente com as cores principais, podem acabar com qualquer foto.

Por exemplo:

Nessa foto, acho o fundo um pouco carregado, ela ficaria melhor com outro fundo com certeza.

Já essa tem um fundo bem neutro, contrastando com a pimenta.

É importante nesse momento prestar atenção no foco, mas isso é assunto para a outra semana!

As regras de composição são ótimas, e melhor ainda é quando você se acostuma tanto com elas, que passa a se sentir confiante e começar a quebrá-las, da forma que preferir, fazendo assim fotos mais originais e com a sua marca. Eai, vocês conheciam estas regras? Conhecem outras? 🙂

2 Comentários

Arquivado em Fotografia

Random

Oi meninas,

Hoje eu tinha programado um post bem legal de resenha, mas meu dia acabou sendo suuper corrido e agora estou estourada demais pra fazer algo, infelizmente. Mas não quis deixar o blog aqui parado, então eu to postando uma foto que eu tenho aqui no pc tem um tempo, e que acho liiiiiinda demais.

Toda essa produção, esses cílios enormes de boneca e a composição da foto como um todo me fazem babar. Infelizmente não me lembro de onde ela é então não tem como dar crédito, mas se alguém souber, avisa tá? 🙂

Bom resto de semana para vocês!

Deixe um comentário

Arquivado em Fotografia, Maquiagem

Fotografia: dicas gerais

Existem alguns pontos que temos que levar em consideração na hora que tirar uma boa foto:

Iluminação

A iluminação do local que você quer fotografar é um elemento crucial para obter um bom resultado. E há quem se engane achando que apenas locais super iluminados são a melhor opção. Na verdade, dependendo do que você quer como resultado, pode-se utilizar de um espaço super iluminado, meio iluminado ou escuro.

Por exemplo:

1) Iluminado

 Para captar os detalhes no olho da minha prima, utilizei da melhor iluminação possível: a natural. E nesse caso é muito importante saber de onde a luz está vindo e posicionar o alvo da melhor forma possível para que haja a maior incidência de luz. No caso, em direção a varanda, que era o locar que recebia maior incidência. Daí todo o resto fica fácil!

2) Meia iluminação

Nessa foto eu quis o contraste da janela contra a sala mal iluminada. Essa eu considero a forma mais difícil de fotografar, dada a grande possibilidade de “estourar” a foto. Foi como aconteceu um pouco entre as folhas da árvore lá atras, estão vendo? Mas dependendo das configurações de velocidade e abertura isso pode ser atenuado. Mas depois eu vou falar disso.

3) Pouco iluminado

Fotos pouco iluminadas criam uma atmosfera de suspense bem legal, mas são difíceis de executar. A melhor coisa que você pode fazer para tirar uma foto boa nessas condições é: jogar o ISO para cima e colocar a sua câmera em um local estático. Os tripés ajudam mas, caso você não tenha, uma pilha de livros, cadeiras e outro objetos ajudam e muito. 😉

Tempo de exposição ou velocidade do obturador

A velocidade nada mais é que o tempo que o obturador da câmera ficará aberto expondo o sensor, quanto maior o tempo mais luz entra. Daí você me pergunta, como controlo isso? As câmeras mais simples fazem essa compensação automaticamente, mas câmeras semi profissionais e profissionais  tem a opção de controle da velocidade e da abertura. E é simples, a velocidade é medida por frações de segundos, e em geral as câmeras só mostram a parte de baixo da fração. Por exemplo: para uma exposição de 1/100, na câmera aparece 100, para uma exposição de 1 segundo, mostra 1′ e assim vai.

Velocidades altas congelam a imagem em movimento, e velocidades baixas mostram o movimento, como aquele efeito de “véu” em cachoeiras. Cuidado para a foto não tremer em baixas velocidades!

Abertura

A abertura do diafragma determina o quanto de luminosidade entra na câmera,  e é medida da seguinte forma: f1 é a máxima abertura, e as aberturas vão diminuindo a partir do momento que f1 aumenta. Sim, ao contrário mesmo! Confuso? Vou colocar uma foto para ilustrar:

Foto: wikipedia

Quanto menor a abertura, menor luz entra na câmera e portanto, mesmo iluminada a foto ficará. A abertura também interfere em outra questão muito importante: a profundidade da foto. Câmeras com aberturas maiores geram fotos com o fundo desfocado. Com aberturas menores, temos uma imagem nítida do infinito!

Exemplo:

Grande abertura: o fundo está desfocado, apesar de próximo.

Pequena abertura: para o máximo de nitidez de toda a área abrangida na foto.

É isso galera, essas são dicas, como eu disse, gerais de como usar a sua câmera  pra se utilizar o máximo dela. Uma coisa que eu também acho super importante é, independentemente do seu modelo de câmera, leia o seu manual. Lá você vai aprender como ela funciona e como controlá-la. Às vezes, você pode até descobrir uma ou outra função que nem sabia que ela tinha!

Espero que tenham gostado e aguardem essa sessão do blog para mais dicas. 😀

2 Comentários

Arquivado em Fotografia